Graham era um homem que desenvolvera um talento que muitos dariam a vida para possuir. Aparecia numa festa, e de alguma maneira «topava» rapidamente as mulheres disponíveis, fazia a sua escolha e, num tempo recorde, era visto a dirigir-se para a saída com ela, levando-a até ao carro e daí ao seu apartamento. Voltava então para a festa e repetia o procedimento, por vezes várias vezes na mesma noite. Parecia ter um radar incorporado para descobrir as mulheres disponíveis no momento certo e convencê-las a ir com ele. Ninguém sabia como o fazia.

A investigação realizada por cientistas comportamentalistas e zoólogos estudiosos do comportamento de cortejo animal revela que os animais, machos e fêmeas, utilizam uma série de gestos complexos de cortejo, alguns mais óbvios e outros mais Subtis, c que a maior parte disto é feito de forma subconsciente.

No mundo animal, o comportamento de cortejo em cada espécie segue padrões específicos e pré-determinados. Por exemplo, em várias espécies de aves, o macho pavoneia-se em volta da fêmea fazendo uma exibição de dotes vocais, esticando as penas e executando muitos movimentos complexos com o corpo, com vista a captar-lhe a atenção, enquanto a fêmea parece mostrar pouco ou nenhum interesse. Este ritual é semelhante ao realizado pelos seres humanos quando se inicia o ritual do cortejo.

O flirt humano envolve sequências de gestos e expressões não muito diferentes das danças de cortejo das aves e outros animais, como se pode observar nos programas televisivos sobre vida selvagem. O ponto fundamental está em que, quando alguém quer atrair o sexo oposto, fá-lo realçando as diferenças sexuais. Pelo contrário, para desencorajar o sexo oposto, reduzimos ou escondemos essas diferenças.

A técnica de Graham consistia, em primeiro lugar, em detetar mulheres cuja linguagem corporal indicasse que estavam disponíveis, respondendo de seguida com os seus próprios gestos masculinos de cortejo. As interessadas retribuíam os sinais femininos apropriados dando-lhe a luz verde não-verbal para prosseguir para a fase seguinte.

O sucesso que as mulheres têm em encontros íntimos e diretamente proporcional à sua capacidade de enviar sinais de cortejo aos homens, e de descodificar os que estes lhes enviam em retribuição. Para um homem, o sucesso no jogo do acasalamento depende fundamentalmente da sua capacidade de ler os sinais que lhe são enviados, por oposição a ser capaz de iniciar os seus próprios movimentos. A maioria das mulheres apercebe-se dos sinais de cortejo, mas os homens são de longe menos perspicazes, revelando-se frequentemente completamente cegos aos mesmos, razão pela qual tantos homens sentem dificuldades em encontrar potenciais parceiras.

A dificuldade das mulheres em encontrar parceiros não tem tanto a ver com serem capazes ou não de ler sinais, mas mais com encontrar um homem que se adeqúe aos seus critérios.

Graham sabia, de alguma forma, exatamente o que procurar, e as mulheres descreviam no como sendo sexy, masculino, possuidor de um bom sentido de humor e «alguém que me faz sentir feminina». Esta era a reação das mulheres às atenções constantes que ele lhes dispensava, e aos sinais de cortejo que utilizava. Os homens, pelo contrário, descreviam-no como «agressivo», «pouco sincero», «arrogante» e «não particularmente engraçado» — a reação dos homens à concorrência que Graham representava para eles.

Em consequência disto, Graham tinha poucos amigos homens, por razões óbvias – nenhum homem gosta de ter um concorrente potencial pelas atenções da sua mulher. Este capítulo é dedicado aos sinais femininos que Graham conseguia divisar e à linguagem corporal que utilizava para os retribuir.