O riso estimula os analgésicos naturais do corpo e os seus produtores de bem-estar, conhecidos por endorfinas, ajudando a aliviar a ansiedade e a curar o corpo. Quando foi diagnosticado a um jornalista americano a doença incapacitante conhecida por ancilospondilite, os médicos disseram-lhe que já nada podiam fazer por ele, e que viveria com dores insuportáveis até morrer. O jornalista decidiu então mudar-se para um quarto de hotel e alugou filmes cómicos. Viu-os vezes e vezes seguidas, rindo o mais que pôde.

Ao fim de seis meses desta terapia de riso auto-aplicada, os médicos descobriram com enorme espanto que a doença tinha desaparecido completamente – ele estava curado! Este resultado extraordinário conduziu-o à publicação de um livro, e ao início da investigação maciça da função das endorfinas. As endorfinas são substâncias químicas libertadas pelo cérebro quando rimos. Têm uma composição química semelhante à da morfina e da heroína, e exercem um efeito tranquilizador sobre o corpo, enquanto reforçam o sistema imunitário. Assim se explica por que razão as pessoas felizes raramente adoecem, mas as pessoas lamurientas parecem estar sempre doentes.