Interpretar Gestos

Home»Linguagem corporal»Compreender as noções básicas

Compreender as noções básicas

maxresdefault

Toda a gente conhece alguém capaz de entrar numa sala cheia de gente e, ao fim de poucos minutos, fazer uma descrição rigorosa dos relacionamentos entre as pessoas e dos seus sentimentos no momento. A capacidade para ler as atitudes e pensamentos de uma pessoa através do respectivo comportamento foi o sistema de comunicação original utilizado pelos seres humanos antes de a linguagem falada se ter desenvolvido.

Antes de a rádio ter sido inventada, a maior parte da comunicação era feita por escrito, por meio de livros, cartas e jornais, o que significava que os políticos feios e os maus oradores, como era o caso de Abraham Lincoln, podiam ser bem-sucedidos, caso fossem suficientemente persistentes e escrevessem bons textos.

A rádio, por seu lado, deu boas oportunidades a pessoas com um bom domínio da palavra falada, como por exemplo Winston Churchill, que falava maravilhosamente, mas poderia ter experimentado grandes dificuldades na época atual, muito mais visual.

Os políticos de hoje têm a perfeita noção de que a atividade política se desenvolve em volta da imagem e da aparência, e a maior parte dos que desempenham cargos de primeiro plano possui atualmente consultores pessoais de linguagem corporal que os ajudam a projetar uma imagem de sinceridade, preocupação pelos outros e honestidade, especialmente quando não possuem estas qualidades de forma natural.

Quase custa a crer que, após milhares de anos de evolução humana, a linguagem corporal só tenha começado a ser estudada ativamente, em qualquer escala, a partir da década de 1960. No entanto, a maioria das pessoas acredita que a fala continua a ser a nossa principal forma de comunicação. Esta só faz parte do nosso repertório comunicacional, do ponto de vista evolutivo, em tempos recentes, e é usada fundamentalmente para transmitir factos e dados. A fala desenvolveu-se provavelmente pela primeira vez entre cerca de dois milhões e quinhentos mil anos atrás, período ao longo do qual a dimensão do nosso cérebro triplicou. Antes dessa altura, a linguagem corporal e os sons produzidos na garganta constituíam as formas principais de transmitir emoções e sentimentos, o que continua a ser verdade hoje em dia. Porém, devido ao facto de nos concentrarmos nas palavras que as pessoas falam, a maioria de nós encontra-se basicamente desinformado relativamente à linguagem corporal, para já não referir a importância que desempenha na nossa vida.

A nossa linguagem falada, apesar disso, reconhece a importância da linguagem corporal para a nossa comunicação.