Os estudos de comportamento sincronizado em termos de linguagem corporal mostram que as pessoas que experimentam emoções semelhantes, ou as que estão no mesmo comprimento de onda e têm boas probabilidades de vir a experimentar sintonia, começarão igualmente a ajustar entre si a linguagem corporal e expressões mútuas. Sincronizar por forma a estabelecer um vínculo com outra pessoa é algo que tem início logo no útero Materno, quando todas as nossas funções corporais e o nosso ritmo de batimento cardíaco se ajustam ao ritmo da nossa mãe, pelo que o espelhamento é um estado para o qual todos naturalmente nos inclinamos.
Quando os elementos de um casal se encontram nos estádios iniciais de cortejo, é habitual vê-los comportar-se com movimentos sincronizados, quase como se dançassem. Por exemplo, quando uma mulher leva à boca uma colher cheia, o homem limpa o canto da sua boca; ou começa uma frase e ela acaba-a por ele. Quando ela experimenta síndrome pré-menstrual, ele sente um forte impulso por chocolate; e quando ela se sente inchada, ele solta gases.

Quando uma pessoa diz que «as vibrações estão certas» ou que «se sente bem» junto de outra pessoa, está inadvertidamente a referir-se a um comportamento sincronizado de espelhamento. Por exemplo, num restaurante, determinada pessoa pode sentir relutância em comer ou beber sozinha, por recear estar dessincronizada dos outros. No momento de fazer o pedido, cada uma das pessoas poderá consultar as outras antes de decidir. «O que é que vais comer?», perguntarão, tentando espelhar os seus pedidos. Esta é uma das razões por que é tão eficaz haver música de fundo num encontro — a música leva o casal a marcar o ritmo, sincronizadamente.