Interpretar Gestos

Home»Comportamentos»Diferença nas saudações

Diferença nas saudações

114304_papel-de-parede-cumprimento_1440x9001

As diferenças no aperto de mão podem ser responsáveis por alguns encontros culturais embaraçosos e humorísticos. Os colegas britânicos, australianos, neozelandeses, alemães e americanos costumam dar um aperto de mão quando se encontram, e de novo quando se despedem. Mas na maior parte das culturas europeias, dar-se-ão apertos de mão várias vezes ao dia, e registaram-se casos de franceses que deram apertos de mão num total de até 30 minutos por dia. Nas culturas indiana, asiática e árabe, as pessoas poderão continuar a segurar-nos a mão após o fim do aperto de mão.

Os Alemães e os Franceses realizam um ou dois movimentos firmes, seguidos de um breve momento de mãos apertadas imóveis, enquanto os Britânicos realizam três a cinco movimentos, por comparação com os cinco a sete dos Americanos. Isto é algo de hilariante quando observado em conferências internacionais onde têm lugar uma série de apertos de mão diferentes entre delegados surpreendidos.

Para os Americanos, os Alemães, com o seu movimento único da mão, parecem distantes. Para os Alemães, pelo contrário, quando os Americanos dão um aperto de mão, parece que estão a encher um colchão pneumático.

No que diz respeito ao cumprimento com um beijo na face, os Escandinavos contentam se com um único beijo, os Franceses preferem em geral dois, enquanto os Holandeses, Belgas e Árabes são adeptos do triplo beijo. Os Australianos, Neozelandeses e Americanos ficam permanentemente confusos com os cumprimentos de beijos e batem com os narizes ao tentarem não perder o pé, mesmo num cumprimento de um único beijo. Quanto aos Britânicos, ou evitam o beijo esticando-se para trás, ou surpreendem-nos com um duplo beijo europeu.