Interpretar Gestos

Home»O poder dos gestos»O poder das mãos»O poder das palmas das mãos

O poder das palmas das mãos

congr-os-de-nuremberg-hitler-01-g

Um dos sinais corporais em que menos se repara, mas que é dos mais poderosos, é transmitido pela palma da mão do ser humano quando dá ordens, quando fornece indicações sobre o caminho a seguir ou durante os apertos de mão. Quando usado de determinada maneira, o Poder das Palmas das Mãos investe o seu praticante com o poder da autoridade silenciosa.

Existem três gestos de comando principais efetuados com a palma da mão: a posição Palma-para-Cima, a posição Palma-para-Baixo e a posição Palma-Fechada-Dedo-Apontado. As diferenças entre as três posições são ilustradas neste exemplo: imaginemos que pedimos a alguém que pegue em alguma coisa e a leve para outro local. Vamos assumir que utilizamos o mesmo tom de voz, as mesmas palavras e expressões faciais em cada exemplo, alterando unicamente a posição da palma da mão.

A palma da mão voltada para cima é utilizada como gesto submisso, não ameaçador, reminescente do gesto de súplica de um pedinte e, de um ponto de vista evolutivo, mostra que a pessoa está desarmada. A pessoa a quem se pede para deslocar o objecto não se sentirá pressionada a fazê-lo, e é pouco provável que se sinta ameaçada pelo nosso pedido. Se quisermos que alguém fale, podemos usar a Palma-para-Cima como gesto de «entrega» para fazer saber ao outro que esperamos que ele fale, e que estamos prontos para o ouvir.

O gesto Palma-para-Cima foi sendo modificado ao longo dos séculos, desenvolvendo-se gestos como o Palma-Unica-Levantada-no-Ar, o Palma-Sobre-o-Coração e muitas outras variantes.

Quando, por outro lado, a palma é rodada para ficar virada para baixo, projetamos autoridade imediata. A outra pessoa perceberá que lhe demos uma ordem para deslocar o objecto e poderá começar a sentir antagonismo em relação a nós, dependendo de qual seja o nosso relacionamento com ela, ou de qual a posição que detenhamos em relação a ela no contexto profissional.

Por exemplo, se a outra pessoa fosse alguém de estatuto semelhante, poderia resistir a um pedido Palma-para-Baixo, e seria mais provável que colaborasse se usássemos a posição Palma-para-Cima. Mas se a pessoa for nosso subordinado, o gesto Palma-para-Baixo será encarado como aceitável, pois detemos a autoridade para o utilizar.

Na saudação nazi, a mão está virada diretamente para baixo e simboliza o poder e a tirania.

Quando os casais caminham de mão na mão, o parceiro dominante, normalmente o homem, caminha ligeiramente à frente com a mão na posição acima indicada, com a palma da mão voltada para trás, enquanto ela tem a palma da mão virada para a frente. Esta simples posição revela imediatamente a um bom observador quem manda nessa família.

A posição Palma Fechada-Dedo-Apontado é um punho em que o dedo apontado é usado como um bastão simbólico com o qual a pessoa que fala bate, em sentido figurado, nos ouvintes, induzindo-os à submissão. A um nível subconsciente, evoca sentimentos negativos nos outros, pois precede um golpe do braço direito de cima para baixo, um movimento Primitivo que a maioria dos primatas utiliza num ataque físico.

O gesto Palma Fechada-Dedo-Apontado é um dos mais incomodativos que alguém pode usar ao falar particularmente se marcar o ritmo das palavras da pessoa que usa da palavra. Em alguns países, tais como a Malásia e as Filipinas, apontar o dedo a uma pessoa constitui um insulto, pois este gesto é utilizado exclusivamente para apontar para animais. Os Malaios usam o polegar para apontar para as pessoas ou para dar indicações sobre o caminho a seguir.