Categoria : O poder dos gestos

Home»Archive by Category "O poder dos gestos" (Page 4)

Como um sorriso engana o cérebro

A capacidade de descodificar sorrisos parece estar pré-programada no cérebro, enquanto ferramenta de sobrevivência. Visto o sorriso ser essencialmente um sinal de submissão, os homens e mulheres primitivos necessitavam de ser capazes de reconhecer se um desconhecido que se aproximava era amigável ou agressivo, e os que não o conseguiam

Faça o teste da pupila

A capacidade de descodificar a dilatação das pupilas está predefinida no cérebro e ocorre de forma completamente automática.

Um investigador realizou uma experiência de resposta pupilar mostrando cinco imagens aos participantes: um nu masculino, um nu feminino, um bebé, uma mãe e um bebé e uma paisagem. Como seria de prever,

A geografia do rosto

A área geográfica do rosto e do corpo de uma pessoa para a qual nos é permitido olhar pode também afetar consideravelmente o resultado de um encontro face a face.

Após terminar a leitura da próxima secção, experimente o mais cedo possível as técnicas discutidas — sem avisar ninguém — e

Os primeiros 20 segundos de uma entrevista

Ensina-se a muitas pessoas que, numa entrevista de vendas ou de emprego, se deve manter contacto visual intenso com o entrevistador até ambos se sentarem. Esse procedimento cria problemas tanto ao entrevistador como ao entrevistado, pelo facto de ser contrário ao processo por que gostamos de passar quando conhecemos uma

Olha-me no fundo dos olhos, baby

Para um programa de televisão, realizámos uma experiência com uma agência de encontros sentimentais. Um certo número de homens previamente selecionados foi informado de que a sua próxima parceira se lhes ajustava perfeitamente (e que podiam contar com um tempo bem passado). Explicaram a cada um deles que o seu

Como se acende o fogo masculino

Baixar as pálpebras ao mesmo tempo que se levantam as sobrancelhas, olhando de baixo para cima, é um agrupamento utilizado há séculos pelas mulheres para demonstrar submissão sexual.

Este gesto não só maximiza a distância entre a pálpebras e as sobrancelhas, como dá à pessoa um olhar misterioso e cheio de