Interpretar Gestos

Home»Sinais secretos»O que dizem os ângulos corporais

O que dizem os ângulos corporais

566049_50441221

1. Posições abertas

Referimos anteriormente que a distância existente entre as pessoas se correlaciona com o grau de interesse ou intimidade existente entre elas. O ângulo segundo o qual orientam os seus corpos proporciona igualmente indicadores não-verbais úteis relativamente às suas atitudes e relacionamentos mútuos.

A maioria dos animais, quando pretende travar um combate com outros animais, assinala-o aproximando-se de frente. Se o segundo animal aceitar o desafio, retribuirá colocando-se de frente para o desafiador. O mesmo se aplica aos seres humanos. Se, pelo contrário, o animal pretender avaliar o outro a curta distância, mas não tiver intenção de atacar, aproximar-se-á de lado, como fazem os cães amigáveis.

O mesmo acontece com os seres humanos. Um orador que assume uma atitude vigorosa perante o seu ouvinte, posicionando-se de pé, de tronco direito e olhando frontalmente, é percecionado como agressivo. Mas o orador que transmita exatamente a mesma mensagem, mas aponte o corpo numa direção que não a do ouvinte, é encarado como seguro de si e orientado por objetivos, mas não tão agressivo. Para evitar sermos encarados como agressivos, devemos posicionar-nos com os nossos corpos descrevendo um ângulo de 45 graus com a pessoa ao nosso lado, em encontros amigáveis, de modo a formar um ângulo de 90 graus.

A ilustração ao lado mostra dois homens com os corpos dispostos em ângulo na direção de um terceiro ponto imaginário, formando um triângulo. O ângulo formado indica que está provavelmente a ter lugar uma conversa não agressiva, além de que ambos exibem estatutos semelhantes, através de um processo de espelhamento. A formação deste triângulo convida uma terceira pessoa a juntar-se à conversa.

Caso um quarto interveniente seja aceite no grupo, forma se um quadrado e, no caso de uma quinta e de uma sexta pessoa, formar-se-á, ou um círculo, ou dois novos triângulos. Em espaços exíguos, como elevadores, autocarros sobrelotados e o metro, onde não é possível voltar o corpo para longe de desconhecidos segundo um ângulo de 45 graus, formamos esse ângulo com as cabeças.

2. Posições fechadas

Quando duas pessoas desejam obter intimidade, os seus ângulos corporais alteram-se de 45 para zero graus, isto é, viram-se de frente um para o outro. Um homem ou uma mulher que pretenda monopolizar a atenção de outra pessoa utilizará esta posição, acompanhada de outros gestos de cortejo, ao realizar o seu avanço.

Um homem não apenas apontará o seu corpo na direção de uma mulher, como igualmente reduzirá a distância entre ambos, à medida que penetra na Zona Intima dela. Para aceitar a aproximação dele, ela não tem senão de orientar o ângulo do seu corpo para zero graus, e permitir-lhe entrar no seu espaço. A distância entre duas pessoas de pé numa Posição Fechada é habitualmente menor do que no caso da formação aberta.

Para além das exibições de cortejo, ambos poderão espelhar os gestos um do outro e aumentar o contacto visual, caso o interesse seja mútuo. A Posição Fechada pode igualmente ser utilizada entre pessoas hostis, com vista a lançar um desafio. A investigação mostra que os homens temem ataques frontais, não lhes agradando por isso ser abordados de frente, enquanto as mulheres receiam atraques vindos de trás, não apreciando por isso abordagens vindas de trás.

Por esse motivo, nunca se posicione em posição frontal relativamente a um homem que acabou de conhecer. Ele percecionará isso como uma agressão, se vier de um homem, e interesse sexual, se vier de uma mulher. Se é homem, é aceitável abordar uma mulher de frente e ir rodando o corpo até descrever um ângulo de 45 graus.