Interpretar Gestos

Home»O poder dos gestos»O poder das mãos»Os oito piores apertos de mão do mundo

Os oito piores apertos de mão do mundo

aperto-de-maos

Apresentamos de seguida oito dos apertos de mão mais incomodativos e menos apreciados e suas variantes. Evite-os sempre.

1.O peixe molhado
Classificação em Termos de Credibilidade: 1/10.

Poucas saudações são tão pouco convidativas como o Peixe Molhado, particularmente quando a mão está fria ou pegajosa. O toque mole e flácido do Peixe Molhado torna-o universalmente impopular, e a maioria das pessoas associa-o a fraqueza de carácter, fundamentalmente devido à facilidade com que se pode rodar a palma da mão. É interpretado pelo receptor como revelando falta de empenhamento no encontro, mas poderá haver implicações culturais ou outras — em algumas culturas asiáticas e africanas, um aperto de mão frouxo constitui a norma, ao passo que um aperto de mão firme pode ser encarado como ofensivo.

Além disso, uma em cada vinte pessoas sofre de uma doença chamada hiperidrose, que é uma perturbação genética que provoca sudação crónica. É boa ideia andar sempre munido de toalhetes, ou de um lenço, para poder limpar a mão antes de um aperto de mão.

As palmas das mãos possuem mais glândulas sudoríferas do que qualquer outra parte do corpo, o que explica por que razão as palmas das mãos suadas se tornam tão óbvias. Surpreendentemente, muitas pessoas que utilizam o Peixe Molhado não têm a noção de o fazer, pelo que será avisado pedir aos seus amigos que comentem o seu estilo de aperto de mão antes de decidir qual usará em futuras reuniões.

2.O torno
Classificação em Termos de Credibilidade: 4/10.

Este estilo silenciosamente persuasivo é um dos favoritos dos homens em contextos profissionais e revela o desejo de dominar e assumir desde cedo o controlo do relacionamento ou de pôr as pessoas nos seus lugares. A palma é apresentada na posição virada para baixo, com uma forte sacudidela para baixo seguida de duas ou três sacudidelas vigorosas de retribuição, e uma pressão na mão capaz até de interromper o fluxo sanguíneo. Será por vezes usado por uma pessoa que se sente fraca e receia ver-se dominada pelos outros.

3.O quebra-ossos
Classificação em Termos de Credibilidade: 0/10.

Primo afastado do Torno, o Quebra-Ossos é o mais receado de todos os apertos de mão, visto deixar uma recordação indelével na mente e nos dedos do receptor, e não impressionar senão a pessoa que lhe dá início. O Quebra-Ossos é a marca característica da personalidade excessivamente agressiva que, sem advertência prévia, agarra a vantagem inicial e se esforça por desmoralizar o seu oponente transformando-lhe as articulações numa pasta mole.

Se for mulher, evite usar anéis na mão direita em encontros de trabalho, pois o Quebra-Ossos pode deixá-la a sangrar e obrigada a iniciar uma reunião em estado de choque.

Infelizmente, não há formas eficazes de o contrariar. Se estiver convencido de que alguém o fez de propósito, pode chamar a atenção de toda a gente dizendo: «Ai! Magoou-me na mão. Aperta com muita força.» Isso constituirá uma advertência para o adepto do Quebra-Ossos não repetir o comportamento.

4.O aperto de pontas-dos-dedos
Classificação em Termos de Credibilidade: 2/10.

Frequente em saudações de homem-mulher, o Aperto de Pontas-dos-Dedos é um aperto de mão que falhou o alvo, levando o seu praticante a segurar por engano os dedos da outra pessoa. Apesar de poder parecer que o iniciador tem uma atitude entusiástica relativamente ao receptor, na verdade sofre de falta de confiança em si próprio. Nestas circunstâncias, o principal objectivo do Aperto de Pontas-dos-Dedos é o de manter o receptor a uma distância confortável. O Aperto de Pontas-dos-Dedos pode resultar igualmente de diferenças de espaço pessoal entre as pessoas que estão a dar o aperto de mão. Isso poderia acontecer, por exemplo, se o espaço íntimo de uma das pessoas fosse de sessenta centímetros, e o da outra de noventa centímetros. Esta última colocar-se-ia numa posição mais recuada durante o aperto de mão, levando a que as mãos não se unissem de forma adequada.

Se isto lhe acontecer, pegue na mão direita da outra pessoa com a sua mão esquerda e coloque-a corretamente na sua mão direita, dizendo, com um sorriso: «Vamos lá tentar outra vez!», dando então um aperto de mão numa base de igualdade. Fazendo-o, estará a reforçar a sua credibilidade, pois está a dizer à outra pessoa que a considera suficientemente importante para a levar a corrigir o aperto de mão.

5.O impulso de braço-hirto
Classificação em Termos de Credibilidade: 3/10.

Do mesmo modo que o Impulso Palma-para-Baixo, o Impulso de Braço-Hirto tende a ser usado por tipos de personalidade agressivos, sendo o seu principal objectivo manter-nos à distância e longe do espaço pessoal do seu praticante. E igualmente utilizado por pessoas criadas em áreas rurais, que possuem maior necessidade de espaço pessoal e querem proteger o seu território.

Estas pessoas chegarão mesmo a inclinar-se para a frente, ou a projetar o peso do corpo sobre um pé, ao darem o Impulso de Braço Rígido.

6.O arranca mãos
Classificação em Termos de Credibilidade: 3/10.

Favoritos de adeptos de jogos de poder, é causa comum de olhos lacrimejantes e, em casos extremos, de ruptura de ligamentos.

Consiste em agarrar com força a palma da mão estendida pelo receptor, aplicando-lhe ao mesmo tempo um forte impulso inverso, numa tentativa de arrastar o receptor para o território do iniciador. Resulta daqui uma perda de equilíbrio, e um relacionamento começado com o pé esquerdo.

Puxar o receptor para o território do iniciador pode significar uma de três coisas: em primeiro lugar, que o iniciador é do tipo inseguro e só se sente bem dentro do seu próprio espaço pessoal; em segundo lugar, que o iniciador vem de uma cultura com menores necessidades de espaço pessoal; ou, finalmente, que nos quer controlar fazendo-nos desequilibrar. Em qualquer dos casos, pretende assegurar que o encontro decorra nos seus próprios termos.

7.O aperta bomba-de-água
Classificação em Termos de Credibilidade: 4/10.

Com acentuadas conotações rurais, a pessoa que pratica este aperto agarra a mão do receptor e dá início a uma série enérgica e ritmada de rápidos movimentos verticais.

Embora um número até sete movimentos seja aceitável, há pessoas que continuam a bombear descontroladamente, como se estivessem a tirar água com uma bomba.

Por vezes, o iniciador deixará de bombear, mas continuará a segurar a mão do receptor para evitar que este se escape e, curiosamente, poucas pessoas tentam libertar a mão. O facto de se estar fisicamente ligado parece diminuir a nossa determinação para nos retirarmos.

8.O aperto Holandês
Classificação em Termos de Credibilidade: 2/10.

Com uma abordagem de algum modo vegetariana, este aperto de mão tem as suas origens na Holanda, onde uma pessoa pode ser acusada de «Geeft´n hand ais bosje worteljes», ou seja, «Dar um aperto de mão parecido com um molho de cenouras».

Tem vindo a ser substituído nas gerações mais novas pelo De Slappe Vaatdoek, ou seja, Pano de Cozinha Sujo. O nome parece não necessitar de mais explicações.